LATAM TRADE

Nosso canal exclusivo de informação ao agente de viagem.
Animais de assistência

Cão-guia (SVAN)

Procedimentos de reserva

O passageiro deverá informar no ato da reserva, o embarque do cão-guia de acompanhamento.

  • O SSR SVAN deverá ser solicitado na reserva.
  • O SSR BLND deverá ser solicitado caso o cliente seja deficiente visual.
  • O SSR DEAF deverá ser solicitado caso o cliente seja deficiente auditivo.
Na aeronave
  • O animal embarcará sem o kennel (caixa de transporte) e ficará junto ao passageiro durante todo o tempo de voo;

  •  

    Os animais a serviço podem ser acomodados no chão da aeronave em local adjacente a seu dono em assentos de maior espaço;

  •  

    Os clientes podem ser acomodados em qualquer fileira (respeitando a classe), porém não podem ser acomodados na saída de emergência;

  •  

    Cães-guia são aceitos em todas as classes de serviço;

  •  

    Não há limite para a quantidade a ser embarcada.

Utilização de Coleira e Focinheira
  • Voos operados por LA e LU: o animal deve viajar com coleira e focinheira colocados a bordo da aeronave;
  • Voos operados por LP, 4M, 4C, XL, PZ e JJ: o animal deve viajar com coleira e o responsável deve levar uma focinheira colocando-a somente se necessário. Em voos partindo do Brasil não se pode exigir o uso de focinheira.
  • Na reserva deve constar através do OSI YY que o cliente foi informado sobre as regras para utilização da coleira e focinheira.
Condições

O embarque de cão-guia pode ser solicitado para acompanhamento de clientes portadores de deficiência visual (BLND), deficiência auditiva (DEAF), pessoas que sofram problemas de equilíbrio, diabetes e epilepsia.

O embarque de cão-guia é aceito em todos os voos domésticos e internacionais.

Em voos para Londres devem ser observadas as seguintes restrições:

  • O animal deverá ter uma tatuagem ou um microchip contendo o número da carteira de vacinação do animal.
  • O passageiro deve entrar em contato com o British Department for Environment Food and Rural Affairs (Departamento Britânico de Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais), DEFRA, com pelo menos uma semana de antecedência ao voo para agendar uma inspeção e emissão do documento sanitário adequado.
  • O passageiro também deverá entrar em contato com o Animal Reception Centre (Centro de Recepção de Animais) do aeroporto de Heathrow com pelo menos uma semana de antecedência à saída de seu voo para solicitar uma carta de aprovação.
  • No momento do embarque deverá apresentar uma cópia da documentação sanitária do animal e a carta de aprovação.

Para voos em codeshare, por favo contatar a empresa operadora do voo.

Documentação Voos domésticos

1. Carteira de identificação e a plaqueta de identificação, expedidas pelo entro de treinamento de cães-guia ou pelo instrutor autônomo.

2. Carteira de vacinação atualizada.

3. Equipamento do animal (coleira, guia e arreio com alça).

Documentação Voos internacionais

1. Carteira de vacinação atualizada.

2. Certificado Zoossanitário Internacional.

3.  Equipamento do animal (coleira, guia e arreio com alça).

Para voos aos EUA, a idade mínima do animal para transporte é de 04 meses.

Cobrança

Não há cobrança para o serviço.

Cão-guia de acompanhamento (SVAN)

Procedimentos de reserva
  • O passageiro deverá informar no ato da reserva, o embarque do cão-guia de acompanhamento.
  • Será necessário solicitar o serviço para os voos LATAM Airlines Brasil conforme procedimento atual inserindo o SSR SVAN na reserva.
  • O SSR BLND deverá ser solicitado caso o cliente seja deficiente visual.
  • O SSR DEAF deverá ser solicitado caso o cliente seja deficiente auditivo.

O cão-guia para condução e auxílio de deficientes visuais e auditivos não exige envio de relatório médico e nem formulário MEDIF

O assageiro deve comparaecer com antecedência ao aeroporto com todos os documentos exigidos.

Na aeronave
  • O passageiro será acomodado na 1ª fileira, ou imediatamente atrás de uma divisória.
  • O animal deve ser transportado no chão da cabine da aeronave, em local adjacente a de seu dono e sob seu controle, além de estar equipado com arreio, dispensando o uso de focinheira.
  • O cão de acompanhamento em fase de treinamento, deverá ser admitido na cabine de passageiros, desde que conduzido por família hospedeira ou treinador especializado, ambos devidamente credenciados.
Utilização de Coleira e Focinheira
  • Voos operados por LA e LU: o animal deve viajar com coleira e focinheira colocados a bordo da aeronave;
  • Voos operados por LP, 4M, 4C, XL, PZ e JJ: o animal deve viajar com coleira e o responsável deve levar uma focinheira colocando-a somente se necessário. Em voos partindo do Brasil não se pode exigir o uso de focinheira.

Na reserva deve constar através do OSI YY que o cliente foi informado sobre as regras para utilização da coleira e focinheira.

Condições
  • Cães-guia de acompanhamento podem ser solicitados por passageiros com deficiências mentais, orgânicas (exemplo: diabético) ou motoras.
  • Este animal em serviço é aceito apenas para voos domésticos (Brasil).

Para voos em codeshare, por favo contatar a empresa operadora do voo.

Documentação

1. carteira de vacinação atualizada, com comprovação de vacina múltipla, antirrábica e tratamento anti-helmíntico expedido por médico veterinário devidamente credenciado.

2. Equipamento do animal (coleira).

Cobrança

Não há cobrança para o serviço.

Cão-guia de suporte emocional (ESAN)

Procedimentos de reserva
  • Necessário informar no ato da reserva o embarque de animal de suporte emocional;
  • Necessário inserir o SSR ESAN na reserva para voos LATAM Airlines Brasil;

Para os voos LATAM Airlines, inserir o SSR OTHS indicando o tipo de serviço, voo, data e rota referente ao voo LATAM Airlines, bem como a idade do animal:

SSR OTHS JJ RQST ESAN ON FIGHT LA500 20JUN15  SCLMIASCL

SSR OTHS JJ ESAN AGE 12 MONTHS

O passageiro deverá preencher o MEDIF, são aceitos atestados médicos emitidos pelo psiquiatra ou psicólogo que realiza o acompanhamento. Encaminhar para a análise da equipe médica LATAM através do e-mail medif@tam.com.br.

  • O atestado deverá cumprir com seguintes exigências:
  • A validade máxima é de 1 ano entre a data de emissão e a data de embarque.
  • Deverá constar a doença do passageiro e informar que a assistência emocional do animal é indispensável.
  • Caso o cliente necessite de mais de um animal de assistência, esta informação deverá constar no atestado.
  • Deverá ser apresentado certificado original com os dados do psiquiatra ou psicólogo que acompanham o tratamento.
  • O documento deve estar legível e compreensível para os agentes de aeroportos e/ou tripulação.
Na aeronave
  • Os passageiros viajando com animais de assistência de preferência, são alocados na janela e nas últimas fileiras da aeronave.
  • O animal deve ser transportado no chão da cabine da aeronave, em local adjacente a de seu dono e sob seu controle, além de estar equipado com arreio, dispensando o uso de focinheira.
  • O passageiro que necessitar embarcar com dois animais como ESAN poderá fazê-lo desde que os dois animais sejam pequenos o suficiente para caber junto aos pés de seu dono e devido a necessidades de segurança, a acomodação dos animais não poderá obstruir total ou parcialmente o corredor da aeronave.
Utilização de Coleira e Focinheira
  • Voos operados por LA e LU: o animal deve viajar com coleira e focinheira colocados a bordo da aeronave;
  • Voos operados por LP, 4M, 4C, XL, PZ e JJ: o animal deve viajar com coleira e o responsável deve levar uma focinheira colocando-a somente se necessário. Em voos partindo do Brasil não se pode exigir o uso de focinheira.

Na reserva deve constar através do OSI YY que o cliente foi informado sobre as regras para utilização da coleira e focinheira.

Condições

Refere-se a passageiros que, por sua condição emocional, necessitam viajar acompanhados de um cão que presta essa assistência emocional. A LATAM somente aceita cães como animal de assistência emocional com prévia apresentação de um certificado médico ou MEDIF que comprove essa condição

  • Somente cães são permitidos como animais de suporte emocional.
  • Serviço disponível em toda a operação doméstica e internacional, sujeito a restrições sanitárias estabelecidas nos países de destino/conexão (ex.: de/para Ilhas Galápagos não é permitido o transporte de animais).
  • A aceitação do Emotional Service Animal está sujeita às restrições de sanidade e documentação estabelecidas pela autoridade sanitária de cada país. Pode-se entregar informações referenciais de acordo com TIMATIC para identificar estas possíveis restrições sanitárias, informando além disso ao passageiro que é sua responsabilidade entrar em contato com as autoridades sanitárias para informar-se sobre as restrições de viagem de acordo com os países de conexão e destino.
  • Os animais devem estar confirmados para que possa passar pelo check in no Aeroporto.
  • Não existe restrição de raça para embarque do ESAN, desde que o animal tenha recebido o devido treinamento e certificação para atuarem como animais de serviço
Documentação

Para transporte de animais de suporte emocional, o cliente deve apresentar:

1. Certificado de vacinação antirrábica, para animais com mais de 3 meses de vida. O animal deverá ter sido vacinado há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data do embarque.

2. Atestado de saúde emitido por médico veterinário, comprovando a saúde e atendimento às medidas sanitárias. A validade do atestado é de 10 dias após a data de emissão do atestado.

3. Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) - a validade varia conforme o país de destino. Deve-se consultar o Ministério da Agricultura para se certificar quanto à validade. Não é válido para retorno ao Brasil.

4. Formulário MEDIF.

Observação: o cartão de identificação do ESAN (Emotion Support Animal) não é exigido. É um documento complementar, caso o cão possua.

Cobrança

Não há cobrança para o serviço.